História da modalidade

Apontamento historico

A utilização de exercícios de força  é milenar. Desde a China a  antiga Grécia passando pelo Egito, podemos verificar em gravuras a génese da cultura fisica, de salientar  o atleta olímpico Milos de Cróton, registros que acreditamos serem a génese da desportivização.

No final do século XIX o Culturismo, juntamente com o Halterofilismo, tinham competições conjuntas no qual eram apresentados “os homens mais fortes do mundo”. Louis Attila, Eugen Sandow e Edmund Desbonnet foram alguns dos nomes  responsáveis pelo crescimento da modalidade e pela sua implementação na universal.

A primeira grande competição registada foi em 1901 no Albert Hall em Londres onde nomes sonantes da sociedade como Sir  Arthur Conan Doyle e Eugen Sandow foram juízes.

A Federação Internacional de Culturismo e Fitness (IFBB) foi fundada em 1946 pelos irmãos Ben e Joe Weider  afilia Federações Nacionais de 202 países é membro da SportAccord (antiga GAISF) e da International World Games Association (IWGA).

É reconhecida pelo Conselho Olímpico da Ásia (OCA)  e  Associação  Pan-Americana de  Federações Desportivas (ACODEPA) e mais de 90 Comitês Olímpicos Nacionais (CONs); além de ser membro da Agência Mundial Antidopagem, que reconheceu a IFBB como a única autoridade em Culturismo e Fitness, cujo programa antidopagem está em total conformidade com o Código da WADA.

A IFBB também é afiliada com o Conselho Internacional de Ciências de Desporto e Educação Física (ICSSPE), o Comitê de Coubertin Internacional Pierre e do Conselho Internacional do treinador Educação (ICCE).

 A modalidade de Culturismo o Powerlifting e todas as suas disciplinas  já foram reconhecidas  como Federação de utilidade publica  desportiva nos anos de 1993 a 1999 pela Federação Portuguesa de Cultura Física.